Minha Carreira como Modelo Plus Size

como-ser-modelo-plus-size

Olá meninas tudo bem?

Hoje vai chover rs resolvi fazer um dos posts mais cobrados da toda história do blog. E olha que ficou um BIG post. Recebo todos os dias mensagens de leitoras do Brasil inteiro querendo iniciar a carreira de modelo então vou contar um pouco sobre minha carreira como modelo plus size e algumas dicas que vão te direcionar para o que você deseja. Espero não te desanimar, é uma profissão legal, porém é instável, tem seus altos e baixos então é preciso entender um pouco para não se decepcionar.

Na última semana a blogueira Ju Romano fez um post super sincero com algumas verdades sobre a carreira de modelo plus size e para você que tem vontade de conhecer mais sobre o mercado vale super a pena dar uma olhadinha no post dela aqui: http://goo.gl/4VdVkF

Agora vou começar com um pouco da minha história. Eu comecei a trabalhar com moda aos 17 anos, queria ser produtora de moda, comecei a estagiar em desfiles e entrei na faculdade de moda. Mesmo trabalhando na área nunca tinha ouvido o termo plus size. Sabia que existiam marcas plus size porque minha mãe sempre foi gordinha e comprava na Miglon. Mas desconhecia outras marcas.

Em 2008 fui produzir um desfile em Santo André, no Shopping ABC, e descobri a Program! Fiquei passadaaa , amei , peguei catálogo, e me senti muito realizada de produzir aquele desfile. Na época não conhecia nenhuma modelo plus size e chamamos clientes da loja para desfilar. Na hora do desfile uma das clientes faltou e a única pessoa na equipe que cabia na roupa era eu. Fiquei arrasada quando me chamaram para desfilar rs , mas curti o momento e rimos muito da situação.

Em 2009 estava trabalhando como estilista de uma marca de jeans no Brás, e comecei a ter mais contato e a descobrir o universo GG. Foi quando uma amiga minha me chamou para fotografar look book e desfilar no Mega Polo Moda, shopping atacadista de São Paulo. Conheci outras modelos plus size e comecei a pesquisar sobre o mercado.

Em 2010, um amigo fez algumas fotos minhas na casa dele mesmo e vi que realmente poderia ser mais do que uma brincadeira e comecei a procurar casting para marcas plus size. Fiz mais trabalhos no Mega Polo e descobri o Fashion Weekend Plus Size. Quando passei no casting do evento fiquei deslumbrada, peguei quase todas as marcas, conheci muita gente e fiz amizade com várias modelos. Inicialmente é uma gratidão muito grande, depois de anos tentando entrar num padrão você estar nos sites de noticias com o corpo que tem é muito legal.

MAS…  Logo no inicio também percebi que não era um mar de rosas, por já trabalhar com produção de eventos via que tudo era muito amador, e muita gente com o ego inflado. O dinheiro não era legal, para receber foi séculos depois e as pessoas te tratavam como se tivessem fazendo um favor por você.

Após o evento fiz meu primeiro casting, foi na casa da fotógrafa mesmo, peguei dois ônibus pra chegar e ficamos até de noite esperando o resultado. Passei (ufa!) era um catálogo de lingerie. Nossa meu primeiro catálogo de lingerie, fiquei tímida, mas a fotógrafa me deixou super a vontade e eu amei o resultado depois.

MAS… Não sabia cobrar, lembro que o cache foi de R$300,00, não tinha contrato e não imaginava o tamanho da exposição. Até hoje tem fotos minhas de lingerie por ai, a marca nunca pagou direitos de imagem para utilizar a foto por mais de cinco anos e eu só lamento não ter tido maturidade na época para não aceitar esse trabalho.

Como trabalho em outras atividades ficou ruim me ver de lingerie por ai, não queria que um cliente meu de consultoria ou uma marca que eu desenhasse me visse de calcinha na internet. Foi complicado até que a marca resolveu cortar minha cabeça de todas as fotos, isso não resolve muita coisa, pois eu sei que aquele umbiguinho torto é meu rs.

Em 2011, comecei a fazer pós-graduação, e voltei para São José dos Campos, passei a não ir à castings em SP, e só fazia o trabalho se a pessoa me chamasse por foto. Foi quando fiz trabalhos em Campinas para a Spice Vitta e para a Enfâse Plus Size em São José do Rio Preto, foi um dos trabalhos mais legais que fiz, foram dois dias de foto, fiquei em hotel, fui SUPER bem tratada, são nesses momentos que você ama o que faz e sabe que esta em boas mãos. Até o resultado fica diferente quando a equipe respeita a modelo e quando se tem uma energia boa.

Em 2012, resolvi largar os trabalhos de modelo e fui estudar na Inglaterra. Quando voltei comecei a desenhar para a Gamaia, mas sempre apareciam alguns convites para fotografar. Fiz alguns trabalhos para lojas de São José, participei de um concurso de Miss Vale do Paraíba, que foi um dos maiores fiascos da minha carreira, falta de profissionalismo estava ali, até hoje me questiono como me submeti a tanta patifaria. Terminei 2012 fazendo as fotos de divulgação para o FWPS, o resultado ficou lindo nas mãos de Adriana Líbini. Mas a falta de profissionalismo da organização do evento me fez prometer para mim que nunca mais aceitaria fazer nada de graça. Sim, às vezes a gente faz coisas de graça achando que aquilo vai te trazer um retorno. Mas muitas vezes nem “obrigado” você recebe.

Em 2013, comecei a fotografar para a marca Xica Vaidosa, e virei uma Xiquete! Meu 2013 todo foi trabalhando com a Xica Vaidosa, fiz inverno, verão, alto verão e sentia que já fazia parte da marca. Fiz algumas participações em TV e conciliava tudo com minha profissão de estilista.

Em 2014, fiz trabalhos para lojas aqui de São José, o blog começou a ganhar uma projeção maior e comecei a dar treinamentos de vendas, consultoria de moda para o segmento gg. Desenhei e fotografei uma coleção para a Xica Vaidosa, fiz um trabalho muito legal para o Mega Polo, e conheci minha loja queridinha, a Rouge Marie, onde sou muito bem tratada e vou trabalhar tranquila sabendo que vai dar tudo certo. Ah, em 2014 iniciei minha parceria com a Josephine Noivas, fotografamos em Paranapiacaba, no sol, peguei insolação, fiquei com febre ficamos o dia todo a base de batata frita e chocolate, mas no fim o que vale é o resultado de um trabalho bonito, mas perrengues sempre aparecem.

Em 2015, fiz meu último trabalho como Xiquete, a marca deu uma repaginada e nada como mudar os ares e a modelo. Desfilei no Mega Polo de novo, depois de quatro anos voltei a desfilar onde tudo começou. Fiz fotos o ano todo para a Rouge Marie e posso dizer que me sinto parte da empresa, quero saber como estão às vendas, me preocupo com tudo e fico muito feliz de passar o dia de fotos lá, são marcas assim que fazem você sentir prazer de trabalhar como modelo. E esse ano recebi um dos convites mais importantes da minha carreira, que foi fotografar para as Pernambucanas, não participei de casting, não tenho book, simplesmente me chamaram pelo blog e passei um dia muito especial, com uma equipe incrível . A equipe se preocupou em levar comidinhas e parar para almoçar. Isso faz muita diferença rs!

Esse foi um resumo bem resumido da minha história como modelo plus size e espero poder esclarecer algumas das dúvidas que recebo:

Como começar?

Você acordou hoje e resolveu ser modelo plus size:

-Conhecer o mercado: No meu caso trabalhar com moda me ajudou muito, já conhecia produtores que me proporcionaram a primeira oportunidade. Como já trabalhava com moda sabia o que era certo ou não, não me deslumbrava com qualquer coisa e sempre procurei saber o posicionamento da marca que iria fotografar e mesmo assim já cai em enrascada. São Paulo e algumas cidades do Sul são onde estão as melhores oportunidades, você precisa estar disponível para viajar e participar de castings no inicio. Conheça as modelos, marcas, tudo acontece muito no “boca a boca”. É um mercado oposto ao mercado de “magras”, enquanto muitas modelos começam novinhas as modelos plus size são mulheres que já estão seguras com seu corpo, se aceitam, se cuidam e se amam. Se você quer ser modelo para aumentar sua autoestima isso não vai funcionar, o caminho é inverso.

-Cuidado com agências: Eu nunca fiz book, nunca paguei nada para nenhuma agência. Nenhum dos meus trabalhos foi por agência e conheço muita menina que trabalha por conta própria. Muita agência tem abordado meninas dizendo que elas têm perfil só para vender book. Claro que você vai ficar feliz, mas avalie se você quer fazer as fotos ou realmente quer seguir carreira. Antes de ir para um casting procure saber a marca, o cache, a quantidade de looks, tudo tem que ser muito transparente para você se sentir segura.

-Tenha um bom material: Você não precisa ser modelo para fazer umas fotos, se você quer só um momento para você tem profissionais melhores que agencias que vão trabalhar realmente sua autoestima. Adoro o trabalho da fotografa Adriani Libini, e super indico para quem quer se presentear com um dia de fotos.

-Veja se você tem perfil: Mesmo no mercado plus size existe um padrão, pegue o catálogo de todas as marcas e veja que existe um padrão, mulheres acima de 1,60cm entre os manequins 44 e 52, maioria com o corpo formato ampulheta, pele e cabelos bem cuidados, unhas sempre impecáveis. Use seu bom senso, PLEASE.

-Existem exceções, poucas: Algumas marcas até optam por um casting mais diversificado, mas são ações pontuais. Uma vez uma menina de 1,50cm me perguntou se tinha perfil de modelo, eu disse que não, depois uma agência vendeu um book pra ela e ela veio me xingar que podia ser modelo sim. Para mim modelo não é quem tem book e sim quem TRABALHA e GANHA com isso.

-Não coloque no facebook “FULANA- MODELO PLUS SIZE” se você nunca fez nenhum trabalho, todo mundo sabe quem é modelo plus size e quem não é.

-Você viu que tem perfil, estudou sobre o mercado, fez um bom material é hora de ser vista. Eventos como Mulheres Reais e Fashion Weekend Plus Size não pagam muito, porém são vitrine para os primeiros trabalhos surgirem.

-A underwear ideal é primordial, passei toda minha carreira usando body e depois que comprei o macaquinho da Lupo, por indicação da Lud da Rouge Marie tudo mudou, a roupa cai melhor e o resultado é perfeito.

-Entrou no mercado é hora de entender que existem empresas e empresas, tem as que se preocupam se você dormiu bem , comeu , dá uma pausa para descansar, essas são as melhores de se trabalhar. Mas não são todas, existem empresam que te deixam sem comer o dia todo, fazem você ir até o fim do mundo e nem se importa como você vai chegar, acha que você é cabide e nem pensam se quer dar um pausinha pra sentar e comer algo. Então carregue uns petisquinhos para beliscar durante o dia e leve um chinelinho na bolsa, você vai precisar dele depois de um dia todo de salto.

-Você é modelo e vai colocar qualquer numeração de sapato, já teve vez que fotografei o dia todo com o sapato menor que meu pé e fiquei com o pé inchado a semana toda.

-Já fiquei sem receber por trabalho que fiz, já tive que brigar pra receber, mas também já recebi muito bem e tem empresas que pagam certinho.

-Filtro solar na bolsa, já fotografei ao ar livre e fiquei com insolação e pink por dias.

-Já peguei alergia de pincel de maquiador sujo, já tive alergia de brinco de produção.

-Já peguei birra de maquiadora que não sabia maquiar, me deixou um monstro e fiquei super insegura com o resultado das fotos.

-É legal que você saiba se maquiar e pentear caso não tenha um profissional para fazer.

-Não se meta em picuinhas, sei que existem modelos e profissionais do mercado que não se gostam, porém tento me manter o mais longe de burburinhos, por morar no interior isso é bem fácil. Faço meu trabalho da melhor maneira e é a melhor coisa a se fazer, se for falar do trabalho de outra pessoa fale bem, observe como aprendizado, amo o trabalho de modelos como Alessandra Linder, Mayara Russi, Carla Manso, entre outras. Ah me inspiro muito da diva das divas Fluvia Lacerda! Se você quer ser modelo plus size no mínimo precisa saber quem é Fluvia, Mayara, Sylvia, Carla, Ale, etc.

-Nunca deixei minha profissão, não consigo viver de modelo plus size, pois faço trabalhos esporádicos, não vou à castings, continuo como estilista, consultora de moda e blogueira. Mas existem algumas meninas que vivem só como modelo.

E tem todos os pontos positivos também , conheci muita gente legal , fotógrafos tops, cabeleireiros e maquiadores incríveis. Modelos, empresários , amigos que vou levar para a vida toda. O que seria da nossa caminhada sem as pessoas do bem , aprendi muito com cada um que passou pelos meus dias. Já fiquei em hotel legal depois de uma noite inteira de viagem, já fui recebida com um mega café da manha, já teve motorista que saiu de SP pra me buscar e levar para São José, sempre tem um almoço com um bom papo, um brigadeirinho no meio da tarde, uma carona, pequenas coisas que tornam o dia mais especial. Já ri muito , me diverti muito. Já ganhei bastante dinheiro, já ganhei nada mas fiquei feliz por ter ajudado uma marca que estava começando. Me sinto realizada de representar SJC dentro do mercado plus size. Hoje por ter o blog prefiro trabalhar com marcas que tem o meu perfil que não fuja muito do que eu sou. E sou muito feliz de poder inspirar outras meninas a se amarem vestindo qualquer manequim e essa é a recompensa que faz todo esforço valer a pena.

Se você ficou com preguiça de ler tudo vamos ao resumo rs:

Não é toda magra que é modelo nem toda gordinha que pode ser também, é preciso ter mais do que perfil, mas aptidão, persistência, jeito, dom, paciência, confiança, desenvoltura.

Você pode ser linda e se sentir bem na sua própria profissão, sinto que muitas meninas acham que a autoestima vai mudar se virar modelo, realmente é um presente para nossa autoestima, mas você precisa estar bem com você antes de tudo.

Se ame, se cuide, se presenteie, cuide do corpo, do cabelo, da unha, da pele, ser modelo é vender uma marca com a sua imagem e ela precisa estar linda.

Quer uma sessão de fotos procure um profissional realmente bom, uma maquiadora top que vai se preocupar em te deixar linda e não só  tirar seu dinheiro.

Será que tirei todas as dúvidas? Se tiver alguma coisa que não abordei, por favor, podem me mandar por inbox no facebook ou pelo contato aqui do blog.

AH observação um pouco útil rs : Comecei a trabalhar como modelo plus size usando 44,  hoje uso 48/50! Voltar a morar na casa dos pais dá nisso !

Não desista de se amar <3

Beijos plus

Débora Fernandes

Compartilhe:


7 thoughts on “Minha Carreira como Modelo Plus Size

  1. Estive bem perto em 2010 e foi umas das poucas pessoas que me.tratam bem e fizeram.valer a pena aqueles.momentos, foram.únicos e alegre, mas de muita cobrança e fofocas, td que disse assino embaixo, você além de trabalho duro teve sorte, muitas são ignoradas devido certos favoritismos, eles ainda existem e acontecem, nunca mais fiquei sabendo de casting e raramente uma pkus dará dica de casting, só apenas aqueles que realmente não a interessam e sabe q por trás haverá lágrimas kkk triste. Nunca mais participei, queria retomar, mas como??? Bjooo Dé te acompanho e te admiro.muito.

  2. Dezinha, nossa linda modelo e amiga não sabemos mais viver sem vc é muito amor envolvido. O que falar dessa menina/mulher linda, doce, profissional que sempre está disposta a dar o seu melhor pra nos ajudar, vc é mais que uma modelo é um presente que Deus pôs no nosso caminho. Amamos você “que belezinha”, Qdo trabalhamos com amor o resultado é especial❤️️️Bjokas plus Gata!!!

  3. Dé! Sua Lindaaaaaa! Falou tudoooo! Toda profissão tem o lado bom e o lado ruim.
    E você falou tudooooo no seu post. As pessoas só vêem o lado glamour, mas ngm vê os busões lotados que pego, as viagens longas, as madrugadasque acordo para chegar no horário rss .. enfim, parabéns pela sua história, agradeço por ter te conhecido, umas das poucas que admiro de verdade! ❤❤❤❤

  4. Bom primeiro quero dar parabéns por nunca ter desistido e ter colocado a real pra todas !!
    Eu estou a 1 ano tentando carreira e minhas ideias são bem parecidas com as suas.
    Ja passei por muitas tive o mesmo erro que vc de ir fazer fotos de lingerie (hoje ja não feria)
    E Logo de cara ja encontrei um monte de picareta falando que ia ter um desfile no fundo do quintal nao sei a onde com muita repercussão (taxa para participar do desfile r$350.00
    Fora os Miss de Bairro por ai…

    Sinceramente eu nao quero ser Miss nem da rua da minha casa… Acho legal quem gosta desse lance de Miss porem acho que funciona mais como aauto afirmação tipo (Olha sociedade sou gorda mais sou Miss Chupa mundo) kkkkkkkk

    Eu só penso em trabalhar fazer a diferença na profissão
    Sou louca ao ponto de pensar em carreira internacional. Kkkkk
    Mais não custa nada sonhar !!
    Não sou a Plus mais linda de todas mais talvez meu diferencial seja querer isso como profissão e não pra se firmar na sociedade !!

    Obrigado por compartilhar sua historia
    Muito sucesso pra vc e que continue nos inspirando positivamente sempre !!

    Bjos

  5. Nossa amei ler sobre sua carreira. Eu montei uma página no Instagram só sobre o mundo plus size. Foi uma amiga que me incentivou a fazer é
    Em poucas semanas já conquistei mais de 2000
    seguidores. Tô adorando postar inspirações e vou compartilhar a sua estória para todas as maravilhosas acima do 44 conhecer um bj

  6. Amei seu post Deb, você é uma inspiração muitas mulheres e sem duvida esse é o sonho de muitas mulheres. Mais como qualquer profissão demanda , tempo, paciência e investimento de tempo e dinheiro e quem não está disposta é melhor nem começar! Parabéns pelo seu sucesso, espero encontra-la mais vezes. Um super beijo Mari

Deixe uma resposta para Rouge Marie Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *